MENINGITE B -> É causada pela bactéria meningococo do tipo B, (é a infecção das membranas que recobrem o cérebro) e certamente está entre as doenças imunopreveníveis mais temida por todos.

ESQUEMA DE VACINAÇÃO:

De 3 a 5 meses são duas doses primarias com intervalo de 2 meses entre as doses e um reforço entre 12 e 15 meses.

De 12 á 23 meses são duas doses primarias com intervalo de 2 meses entre as doses e um reforço 12 meses apos a ultima aplicação primaria. 

Para as demais faixas etárias o esquema é de 2 doses com intervalo de no minimo 30 dias entre as doses. 

  Para mais informações entre em contato conosco! 

OS BRINCOS BABY SYSTEM 75 é o sistema de aplicação mais moderno do mundo.


Diferentemente do sistema de perfuração de orelhas convencional, no System 75 os brincos são mais fininhos e mais delicados, embalados e esterilizados individualmente em cápsulas descartáveis.

O design do produto foi feito especialmente para que a colocação do brinco fosse rápida e praticamente indolor.

O equipamento uma vez pressionado perfura a orelha e encaixa a tarracha automaticamente. Permitindo uma perfuração com alto nível de facilidade, mesmo para os técnicos com pouca prática em colocação.
Design Patenteado.

Fabricado nos Estados Unidos
Sua aplicação é rápida, silenciosa, higiênica sem contato manual.
O aparelho de aplicação é leve com design anatômico, facilitando o manuseio e garantindo a colocação com precisão.

CÁPSULAS INDIVIDUAIS ESTERILIZADAS.

Cada par de brincos System 75 é apresentado em duas cápsulas individuais esterilizadas,contendo um brinco e uma tarracha cada uma. Dessa forma é possível usar uma cápsula sem comprometer a esterilização da outra.
Colocação Simultânea - O Sistema 75 vem com 02 instrumentos de colocação, possibilitando que duas orelhas possam ser perfuradas, ao mesmo tempo, facilitando especialmente a colocação em crianças pequenas.

"Design arrojado"
Os brincos do System 75 foram projetados de tal forma que mesmo passada a fase de cicatrização, eles poderão ser usados como brincos antialérgicos, desfrutando da extensa variedade de modelos.

SISTEMA DE ASSEPSIA DE ÚLTIMA GERAÇÃO.

O dispositivo descartável do System 75 foi projetado para que mesmo depois de inserida no equipamento para perfuração, mantenha suas propriedades de total esterilização e assepsia.
Dessa forma a aplicação é feita sem nenhum contato manual, o que elimina o risco de contaminação no ato da perfuração.
Neste dispositivo aplicador, o brinco e a tarracha ficam fixos e aplicação pode ser feita com o bebê deitado.
O aparelho de aplicação System 75 foi projetado com formato anatômico e se adapta às mãos com perfeição, garantindo maior precisão na colocação dos brincos. Leve e com design moderno, o aparelho possibilita uma perfuração rápida, silenciosa e quase indolor. Totalmente descartável, o sistema não permite reutilização de suas partes.

5 FASES DA IMUNIZAÇÃO: IMPORTÂNCIA DA VACINAÇÃO DURANTE TODAS AS FASES DA VIDA 

Você sabia que 1,5 milhões de mortes poderiam ser evitadas se a cobertura mundial de vacinação fosse melhorada? 

Apesar de crianças e idosos serem os grupos mais alcançados em campanhas de vacinação, é indispensável ressaltar a importância da prevenção em diferentes faixas etárias.

Podemos citar cinco diferentes fases da vida em que a imunização pode – e deve – estar presente, tendo cada uma sua relevância em reforçar a proteção contra doenças que prejudicam a qualidade de vida dos indivíduos. Conheça essas etapas e a importância da imunização em cada uma delas.

Recém-nascidos:

Ao nascerem, os bebês são expostos a centenas de vírus e bactérias e, como possuem sistemas imunológicos ainda imaturos e frágeis, ficam ainda mais suscetíveis a doenças e infecções. Hepatite B, influenza e poliomielite são algumas enfermidades graves que impactam a saúde dos recém-nascidos e que podem ser prevenidas com vacinação. 1, 2

O número de casos de poliomielite, por exemplo, diminuiu em 99% desde o início da Iniciativa Global pela Erradicação da Poliomielite com a vacinação contra a doença. 3

Crianças:

Nesta fase, é importante que crianças de até 10 anos recebam vacinas para primovacinação e de reforço para evitar o surgimento de doenças. Devido à maior exposição na escola – onde acontece o contato com um número maior de pessoas – e ao sistema imunológico ainda em desenvolvimento, as crianças podem estar mais propensas a doenças. Enfermidades como difteria, coqueluche, tétano e gripe são algumas das doenças que podem ser evitadas se as crianças forem vacinadas de acordo com o calendário vacinal.2

Adolescentes:

Os adolescentes são o grupo com maiores chances de ser afetado pelo meningococo, causador da meningite meningocócica. O reforço da vacina ocorre entre os 11 e 14 anos para reduzir o risco de transmissão da doença para pessoas não protegidas. 4

É também nessa idade que pode ser administrada a vacina contra o HPV, vírus que pode causar câncer de colo do útero nas mulheres adultas .5

Adultos:

Apesar da imunização na idade adulta não ser tão comum, é muito importante continuar de olho na carteira de vacinação: algumas vacinas tendem a perder eficácia ao longo do tempo e necessitam de reforço. Vale ressaltar que, se protegidos, os adultos podem evitar a transmissão de doenças aos familiares e filhos pequenos. 6

Gestantes também devem ficar mais atentas, já que são mais sujeitas a complicações por terem um sistema imunológico mais deficiente do que outros indivíduos.6

Vacinas contra gripe, hepatite B e tétano, entre outras, são indicadas na fase adulta.7

Idosos:

Considerados parte do grupo prioritário em campanhas de vacinação nacionais, por estarem mais suscetíveis a doenças, os idosos são, por exemplo, os mais afetados pela influenza.8 Além disso, a vacinação nesta idade permite melhor qualidade de vida para a população.8

PREVENÇÃO É NA IMUNNE!

“Quem ama vacina!

Quem ama cuida!

Quem ama protege!"

 

   Faça um orçamento com a gente:

 

VACINAS NA REDE PRIVADA E NA REDE PUBLICA ALGUMAS DIFERENÇAS ENTRE ELAS

 

         A vacinação é um dos pontos mais importantes ao qual os pais devem dar atenção logo após o nascimento dos filhos. Depende da participação dos pais o controle vacinal, pois a atualização e manutenção periódica da carteira de vacinação são fundamentais proteção do organismo e a prevenção de doenças.

         Na carteira de vacinação constam, além das informações das vacinas, dados específicos sobre a saúde física, motora e mental da criança. Por isso, será muito utilizada e requisitada por toda a vida, tanto na adolescência como na fase adulta, reforçando ainda mais a necessidade dos pais se preocuparem em seguir corretamente o calendário de imunização.

 

        Vacinar é, para muitos pais, uma difícil decisão, mesmo para aqueles que querem garantir a saúde de seus filhos acima de qualquer coisa. Os que detém conhecimento no assunto são mais determinados e conscientes em relação ao fato de que as vacinas são o método mais barato, eficaz e seguro no controle e na promoção da saúde.

        Um exemplo disso são as “ações de vacinação”, coordenadas pelo Programa Nacional de Imunização (PNI), da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, nas quais as crianças participam efetivamente e por iniciativa dos pais, com o objetivo de erradicar e controlar as doenças no nosso país.

Principais diferenças

        Aos pais que querem saber quando e como vacinar os filhos, a orientação é procurar os postos de saúde ou clínicas credenciadas, com profissionais capacitados em imunização e habilitados para identificar e aplicar as vacinas indicadas de acordo com a idade da criança.

        Existem vacinas disponíveis na rede privada que se destacam quanto à composição, proteção e reação adversa, quando comparadas às da rede pública.

 

São elas:

  1. A vacina Tríplice (DTP, que protege contra difteria, tétano e coqueluche): a disponível nos postos é conhecida pela incidência maior de efeitos colaterais quando comparada a DTPa (Tríplice Acelular), encontrada em clínicas privadas, cujas reações adversas são menos intensas. Os adolescentes, adultos e idosos também podem receber a aplicação da vacina tríplice acelular, assim como as gestantes.

  2. A vacina Rotavirus, que protege contra a infecção gastrointestinal (vômitos e diarreia): causado por este vírus e que está indicada para pacientes a partir de 2 meses de vida, possui duas versões. A monovalente (protege contra um tipo de rotavirus) é a fornecida pela rede pública em duas doses que devem ser dadas aos 2 e aos 4 meses de vida. A outra versão é a vacina pentavalente (que protege contra cinco tipos de rotavirus), com esquema de três doses, sendo a primeira dada aos 2 meses e a segunda e a terceira aos,4 e 6 meses, respectivamente. Ambas possuem idade limite para iniciar e finalizar o esquema vacinal.

  3. A vacina Pneumocócica: é indicada para proteger contra as infecções produzidas por esta bactéria, principalmente contra pneumonias, otites e meningites pneumocócicas. Na rede pública a criança recebe a pneumo 10 (que protege contra 10 sorotipos de pneumococo), enquanto nas clínicas tem-se disponível a pneumo 13 (que oferece proteção para 13 sorotipos). Ambas as vacinas devem ser administradas em 3 doses, aos 2, 4 e 6 meses. Quando a criança completa um ano ou um ano e três meses, deve receber um reforço.

  4. A vacina de meningite meningocócica: disponibilizada tanto na rede pública quanto na rede privada, diferencia-se pela existência de uma vacina quadrivalente, que protege contra quatro tipos de meningococo (A,C,W 135,Y). As crianças já podem receber com 1 ano de idade o reforço desta vacina, quando administrada no setor privado.

 

 

        É fundamental que a população tenha consciência de que este cuidado não se restringe apenas às crianças. Há calendários de vacinação específicos para adolescentes, adultos e idosos que estão disponíveis nos serviços de saúde, assim como as vacinas destinadas a estes grupos.

        Os pais que não vacinam os filhos comprometem não apenas a saúde deles, mas de toda população, já que muitas vezes as crianças podem não só ficar doentes, como também transmitir a doença. Para evitar transtornos, confira sempre a Caderneta Vacinal da criança.

 

 

"Essa é uma das coisas mais importante que os pais podem fazer pelos filhos."

Fique informado! Siga nosso Instagram @imunne_vacina

 

Entre em contato conosco!